DJ Gel

DJ Sorocaba dj para festas Sorocaba



DJ em sorocaba dj para casamento sorocaba



DJ Sorocaba dj para festas Sorocaba



DJ em sorocaba dj para casamento sorocaba



Notícias

RSS Feed - Notícias - Mantenha-se Informado


26/05 - Festival de música em SP é cancelado por causa da paralisação de caminhoneiros
Tim Music seria neste sábado no Anhembi com nomes como Bell Marques e  Simone e Simaria. Simone iria se apresentar com Simaria no festival Érico Andrade/G1 O festival Tim Music, que seria realizado neste sábado (26), na Arena Anhembi, foi cancelado pelos organizadores por causa da paralisação dos caminhoneiros. Segundo a organização, a decisão foi tomada para garantir a segurança do público, além da logística das equipes técnicas e o descolcamento dos artistas. Os ingressos serão reembolsados. Entre as atrações previstas estavam Simone & Simaria, Matheus & Kauan, Bell Marques, Jetlag, Felipe Araújo e Bruno Martini. Veja a nota dos organizadores "Devido à greve e paralisação dos caminhoneiros que traz graves impactos para todo o país, a TIM, Universal Music e D&M Promocoes e Eventos foram obrigados a cancelar o FESTIVAL TIM MUSIC, que seria realizado neste sábado (26) na Arena Anhembi em São Paulo. A decisão foi tomada levando em consideração, sobretudo, a segurança do público que estaria presente, além da logística terrestre das equipes técnicas, e deslocamento aéreo dos artistas. Informamos que os valores desembolsados para a compra do ingresso serão integralmente restituídos: valor de face do ingresso, taxa de conveniência e taxa de entrega (quando aplicável). Consulte as informações sobre a restituição em http://bit.ly/CancelamentoFestival A TIM, Universal Music, D&M Promocoes e Eventos e todos os artistas e produção envolvidas no evento lamentam o cancelamento e contam com a compreensão do público. Informamos ainda que a programação do Festival TIM Music Rio de Janeiro, dia 01/06, permanece inalterada"
Veja Mais

23/05 - O que o aplicativo de música Spotify pode nos ensinar sobre a economia
Pesquisadores estão começando a pensar que é esse tipo de informação que pode dar uma ideia valiosa sobre o humor - e, portanto, comportamento - dos consumidores. 'Shape of You', de Ed Sheeran, é a música mais popular no Spotify Getty Images "Uma semana depois, deixamos a história começar Estamos saindo no nosso primeiro encontro Você e eu somos mãos-de-vaca Então vamos num rodízio Você enche a sua bolsa, eu encho o meu prato". Ed Sheeran e seus compositores provavelmente não estavam pensando na economia global quando escreveram a letra da música "Shape of You". No entanto, assim como a maioria das músicas que ouvimos no serviço de streaming Spotify, esse tipo de dado pode dar uma ideia valiosa sobre o humor - e, portanto, o comportamento - dos consumidores. Ao menos é isso o que pesquisadores acreditam que está acontecendo hoje. Andy Haldane, economista-chefe do Banco da Inglaterra e encarregado de monitorar os dados econômicos do país, diz que, se os economistas querem saber o que está acontecendo, eles deveriam focar em novas áreas de "big data" além das fontes tradicionais de informação. Em um discurso recente, ele disse que "é estimado que 90% de todos os dados criados foram produzidos nos últimos dois anos. Uma boa parte disso veio como consequência das redes sociais". "Capturar os sentimentos e preferências verdadeiros das pessoas é terrivelmente difícil", ele continuou. "Pesquisas tradicionais com participantes do mercado ou o público em geral tendem a ser enviesadas pela amostra e enquadramento das respostas… Isso pode demandar uma maneira não-tradicional de revelar as preferências e os sentimentos das pessoas". Mapeamento O editor de economia da BBC, Kamal Ahmed, diz que, apesar de não achar que Haldane esteja defendendo o abandono da economia tradicional, ele está certo em questionar a eficiência de métodos como pesquisas para entender como opera a economia. "Perguntamos às pessoas como elas se sentem em relação a X, Y e Z em uma escala de 1 a 10, e isso não bate com o comportamento das pessoas", diz Ahmed. "A economia comportamental se aproximou muito da economia enquanto disciplina. Entender como as economias operam tem muito mais a ver com como nos sentimos do que o que achamos que estamos fazendo, e nós não somos seres racionais". É aí que entram escolhas musicais, como Haldane observa em uma pesquisa recente que usou dados coletados do top 100 da Billboard americana e da Official Charts Company do Reino Unido. Ambos os gráficos são compostos pelas 100 músicas mais tocadas na rádio pública e em serviços online de streaming, além da maior venda em dólares. Pesquisadores da Universidade de Claremont usaram dados de 2000 a 2016 para categorizar músicas com classificações como energia, dançabilidade, altura e sentimento (positivo ou negativo) por meio do Desenvolvedor API do Spotify, que cria algoritmos para sugerir músicas e playlists personalizadas aos usuários. Os resultados mostraram que a positividade e a energia das músicas mais populares têm diminuído desde 2000, enquanto o ritmo e a altura se mantiveram estáveis. Já a dançabilidade está em crescimento. Impacto da crise Os pesquisadores também analisaram as letras das músicas para categorizar as canções em oito sentimentos: alegria, tristeza, raiva, medo, nojo, surpresa, confiança e antecipação. Ao observar as músicas mais populares durante 2008, ano de uma difícil crise financeira global, eles descobriram que as músicas com letras associadas a antecipação, nojo, tristeza, medo e raiva aumentaram sua popularidade entre 2008 e 2009 e depois começaram a cair após essa data. De acordo com a pesquisa, "isso indica que as pessoas estão projetando seus estados de espírito na música que decidem ouvir". O economista-chefe do Banco da Inglaterra considerou os resultados significativos e percebeu uma outra descoberta da pesquisa. "O índice resultante de sentimentos também rastreia de maneira intrigante os gastos dos consumidores tão bem quanto a pesquisa de Michigan sobre a confiança do consumidor", diz, em referência ao índice mensal da Universidade de Michigan (EUA), que oferece uma representação nacional dos sentimentos dos consumidores, o que implica nos valores das bolsas e seguros. "E por que parar na música?", questiona Haldane. "O gosto das pessoas em livros, TV e rádio também podem oferecer uma janela da alma. Assim como seu gosto em jogos". Ele usa os jogos World of Warcraft e EVE Online como exemplos de mercados virtuais que dão aos economistas uma oportunidade para aprender mais sobre o comportamento envolvido em gastos. Comportamento Então, o que a música que ouvimos e nossas preferências culturais revelam sobre nossas ações como consumidores? As músicas mais ouvidas em 2017 foram "Shape of You", de Ed Sheeran, "Despacito", de Luis Fonsi com Daddy Yankee e Justin Bieber, e "Something Like This", de Chainsmokers com Coldplay. Todas elas são "uptempo" (ritmo acelerado) e pop. Isso significa que a economia está indo bem, considerando que a ciência apontou que o inverso também é verdade, que tendemos a ouvir músicas melancólicas quando estamos tristes em situação de crise? Kamal Ahmed diz que não podemos tirar conclusões ainda, já que o mundo muda em um ritmo acelerado. "O problema é que as informações do Banco da Inglaterra reafirmam teorias que vão décadas e séculos atrás para que você possa julgar essas coisas durante um longo período de tempo". Ele avisa que a velha máxima "correlação não implica causalidade" permanece. "Encontrar uma correlação em um ano pode não ser verdade em cinco anos, então é preciso ter cuidado", diz. "Você pode achar quase qualquer coisa se olhar com atenção o suficiente porque há bilhões de dados produzidos todos os dias, mas é importante entendermos sentimentos e economia de uma maneira mais século 21".
Veja Mais

23/05 - Com 'Amor Falso', Aldair Playboy alcança top 50 músicas mais virais do mundo no Spotify
Com sucesso de nova música, cantor Aldair Playboy gravou versão com Wesley Safadão e MC Kevinho e promete novo clipe. Aldair Playboy gravou versão de 'Amor Falso' com Wesley Safadão e MC Kevinho Reprodução/Instagram/@aldairplayboy_ O cantor de brega funk Aldair Playboy alcançou o ranking de 50 músicas mais virais do mundo, no Spotify. Na tarde desta terça-feira (22), o músico chegou à 12ª colocação, com a música “Amor Falso”. A música conta com mais de 9 milhões de plays no Spotify e mais de 13 milhões de visualizações no YouTube. Segundo a descrição do clipe na plataforma, "Aldair70's" é a temática da produção, que se passa no final da década de 70 e retrata a história de um amor falso. Com a viralização do hit, Aldair Playboy lançou uma nova versão da música, com a participação de Wesley Safadão e MC Kevinho, e já anunciou que um novo clipe também vai ser lançado. "Amor Falso" viralizou com o refrão "Parabéns pra você / Que me fez entender / Que minha paixão não é você / Obrigado / Por demonstrar / Esse amor falso". Initial plugin text
Veja Mais

20/05 - Avião de Alok sai da pista em aeroporto de Juiz de Fora; DJ passa bem
Aeronave derrapou durante a decolagem; não houve feridos. 'Nascemos de novo', escreveu DJ nos stories do Instagram. Avião de DJ Alok derrapa na decolagem em Juiz de Fora Um avião que transportava o DJ Alok saiu da pista durante a decolagem no aeroporto em Juiz de Fora, da Zona da Mata mineira, no final tarde deste domingo (20). Não houve feridos e a assessoria do DJ disse que ele passa bem. Alok Achkar Peres Petrillo tem 26 anos e é natural de Goiânia (GO). O DJ é atualmente um dos grandes nomes da cena eletrônica mundial. "Hear me now" é um dos hits mais populares lançados pelo artista. Por telefone na noite deste domingo, a assessoria da Força Aérea Brasileira (FAB) informou inicialmente que houve uma “excursão de pista”, que o avião não chegou a derrapar, acendeu um alarme enquanto estava subindo, alertando alguma pane. Ainda segundo a FAB, seriam verificados quais procedimentos adotados neste caso. Na manhã desta segunda-feira (21), em nota, a FAB disse que investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos realizarão nesta segunda a Ação Inicial da ocorrência envolvendo a aeronave e que este é o começo do processo de investigação e “possui o objetivo de coletar dados: fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos”. Logo após o incidente, o artista se manifestou nas redes sociais. DJ Alok gravou imagens mostrando o avião e tentou dizer algumas palavras aos fãs. "Galera, fui decolar aqui... o avião...", disse demonstrando nervosismo. DJ Alok em vídeo postado em uma rede social após incidente com avião em Juiz de Fora neste domingo (20) Ofegante, ele não conseguiu completar a frase e apenas continuou filmando. Na sequência publicou por escrito: "Estamos todos bem. Só consigo agradecer! Nascemos de novo! 20 de maio, meu segundo nascimento." Mensagem de ALok nas redes sociais: 'Nascemos de novo!' Reprodução/Alok/Instagram Em outra rede social, Alok reiterou que ele e a equipe estão bem. "Estamos todos bem" Só consigo agradecer! Obrigado, Deus!", escreveu. DJ Alok tranquiliza fãs nas redes sociais após susto no Aeroporto de Juiz de Fora neste domingo (20) Reprodução/Alok/Twitter A equipe do MGTV confirmou que nove pessoas, contando com piloto e copiloto, estavam na aeronave, um Cessna modelo 560X, prefixo PR-AAA. O avião pertence ao DJ e está em situação regular. O MGTV também apurou que o avião só deve ser retirado da pista nesta segunda-feira (21). A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo (Sedettur) comunicou que o incidente durante a decolagem da aeronave ocorreu por volta das 16h30 no Aeroporto Municipal Francisco Álvares de Assis, conhecido como Aeroporto da Serrinha. Ainda em nota, a Sedettur declarou que os procedimentos de segurança foram acionados pela empresa que opera o aeroporto, assim como os contatos com o Corpo de Bombeiros e os órgãos ligados à Aeronáutica. A Polícia Militar (PM), que acompanhou os trabalhos de segurança no local, também informou que, apesar de ter parado no fim da pista com o bico virado para baixo, o avião não sofreu sérios danos na fuselagem. Os bombeiros estiveram no local para limpeza e prevenção contra incêndio. Em vídeo que circula nas redes sociais, é possível ver a aeronave fora da pista e uma nuvem de fumaça. Avião de Alok sai da pista em Juiz de Fora; DJ passa bem No sábado (19), Alok fez um show com o cantor Luan Santana no Lavras Rodeo Festival, na cidade sulmineira de Lavras, e depois se apresentou na Festa Country, realizada no Parque de Exposições de Juiz de Fora. Neste domingo, ele se apresentaria no Pump Sunset, em Belém, Pará. Ele e sua equipe alugaram um carro e cada seguiu para casa. O show no Norte do país foi cancelado. A informação foi confirmada em nota pela assessoria do artista. "Informamos que na tarde de hoje, dia 20, houve um problema com a aeronave que transportava Alok e sua equipe durante a decolagem no aeroporto de Juiz de Fora, onde fizeram um pouso de emergência. O artista estava indo para Belém, local onde faria um show nesta noite, porém foi adiado. Ressaltamos que não houve feridos. Todos passam bem e estão indo para suas residências", diz a nota. No início desta semana, Alok anunciou em seu perfil oficial no Instagram que sua namorada, Romana Novais, perdeu o bebê que os dois esperavam. Universitária presenciou 'susto' com avião A universitária Sarah Carvalho foi uma das pessoas que estavam no Aeroporto da Serrinha esperando o DJ neste domingo. Ela estava na companhia da mãe e de uma amiga, contou ao G1 que não foi ao show dele em Juiz de Fora porque tinha uma prova neste domingo de manhã. "A minha única chance de vê-lo era no aeroporto. Ele chegou de carro, mas entrou por outro hangar. Ele apareceu caminhando na pista e fez gestos de que estava atrasado. Mesmo assim, ele foi até a grade e tirou fotos com todo mundo. E a gente ainda desejou boa viagem e falou para ele ir com Deus", relatou a fã. A universitária Sarah Carvalho tirou foto com DJ Alok antes de ele embarcar no avião no Aeroporto da Serrinha em Juiz de Fora Sarah Carvalho/Arquivo Pessoal A universitária contou que viu a equipe embarcar e iniciar os procedimentos de decolagem. Então ela percebeu pessoas correndo na pista. "Uma garota passou correndo e disse que tinha dado problema com o avião. A gente começou a correr. Eu entrei no meio do mato. Vi o avião naquele barranco, com a parte traseira levantada. Havia muita fumaça preta." Avião do DJ Alok saiu da pista no procedimento de decolagem; fã registrou incidente Sarah Carvalho/Arquivo Pessoal A estudante conta que o susto foi grande. "Eu cheguei na hora que ele estava saindo. As cinco pessoas da equipe saiu e os pilotos também. Fiquei tranquila quando vi que ele estava bem, embora parecesse assustado e em choque. Eu estou chocada. É algo que você nunca espera ver. A gente desejou boa viagem para ele. E isso aconteceu. Vi os carros do aeroporto chegarem e conversarem com as pessoas." Em rede social, artista fez imagens dele e do avião, após areonave sair da pista ao decolar em Juiz de Fora Reprodução/Alok/Instagram Outro incidente No final de outubro de 2017, outro avião saiu da pista do aeroporto de Juiz de Fora, mas no momento do pouso. O incidente é tecnicamente chamado de "excursão de pista". A aeronave, que pertencia ao Hospital Dr. João Felício, foi parar perto de um barranco. Na época, cogitou-se que o mau tempo influenciou no acidente e, à produção do MGTV, o presidente da Associação Pró-Serrinha, Alexandre Maestrini, disse que, como o aeroporto não tem sala de operação, os pilotos têm que se comunicar entre eles mesmos e também decidir por eles mesmos o que fazer. "Sem o operador, o piloto não consegue ter informações da pista, nem condições de pouso, nem do tempo", disse Maestrini. Poucos dias depois, um processo de licitação foi concluído para que a administração do aeroporto, até então com a Prefeitura, passasse para uma empresa terceirizada. Em janeiro deste ano, um monomotor derrapou e capotou na pista durante treinamento no Aeroporto da Serrinha. Como nos demais casos, ninguém se feriu. *Colaboraram com a reportagem Daniela Ayres e Inácio Novaes
Veja Mais

20/05 - Cantora Roberta Miranda vai se apresentar ao lado de Tiê no Sesc de Rio Preto
Show será às 21h de quinta-feira (24) e ingressos estão à venda na internet. Roberta Miranda vai se apresentar em Rio Preto Divulgação Comemorando 30 anos de carreira, a cantora Roberta Miranda vai se apresentar em São José do Rio Preto (SP), às 21h de quinta-feira (24), ao lado da cantora e compositora Tiê. No show, além das canções que marcaram sua carreira, como “Majestade o Sabiá”, “São Tantas Coisas”, “Vá com Deus”, e “De Igual para Igual”, a artista traz composições inéditas, como "Os Tempos Mudaram", gravada com Marília Mendonça. Os ingressos do show de Roberta Miranda estão à venda na internet e também na bilheteria do Sesc Rio Preto, localizado na Avenida Francisco das Chagas Oliveira, 1333. O ingresso custa R$ 50. O valor da meia entrada é R$ 25 e para quem tem credencial plena é R$ 15. Veja mais notícias da região no G1 Rio Preto e Araçatuba
Veja Mais

20/05 - Guitarra de Bob Dylan é leiloada por US$ 495 mil em Nova York
Leilão dedicado a ícones da música também vendeu primeira guitarra elétrica de George Harrison e figurino vermelho de Michael Jackson em "Thriller". Guitarra Fender Telecaster de 1965 leiloada em Nova York Don Emmert/AFP Uma guitarra de Bob Dylan, símbolo de sua mudança para o som elétrico, foi vendida neste sábado (19) por US$ 495 mil em Nova York, em um leilão dedicado a "ícones da música". A guitarra, uma Fender Telecaster de 1965 que pertenceu a Robbie Robertson, guitarrista de Bob Dylan, foi utilizada tanto por Dylan como por Eric Clapton e George Harrison, segundo a casa de leilões Julien, que organizou a venda. O instrumento marcou a guinada do cantor folk de "The Times They Are A-Changin'" ao artista que passou a usar a guitarra elétrica em canções como "Like a Rolling Stone". Outros instrumentos leiloados no sábado foram a primeira guitarra elétrica de George Harrison, uma Hofner Club 40, vendida por US$ 430 mil, e uma Fender Telecaster rosa fabricada por Elvis Presley em 1968, negociada por US$ 115.200. Um cinto utilizado por Elvis durante um show no Havaí em 1972 foi leiloado por US$ 354.400, enquanto um anel de diamantes no formato de estrela chegou a US$ 100 mil. Também foram negociados peças de Michael Jackson, como o figurino vermelho usado no videoclipe "Thriller", vendido por US$ 217.600, e um cinto com as letras BAD, um de seus grandes sucessos, negociado por US$ 179.200.
Veja Mais

20/05 - Veja como foram shows de Legião Urbana, Anavitória, 3030 e Val Donato no Campus Festival 2018
Ponto alto da noite de shows no Campus Festival aconteceu neste sábado (19), em João Pessoa. Legião Urbana XXX Anos no Campus Festival 2018 Reprodução/G1 O projeto Legião Urbana XXX Anos, o duo Anavitória, o grupo 3030 e a cantora Val Donato foram as grandes atrações no ponto alto da noite de shows no Campus Festival 2018, neste sábado (19), em João Pessoa. As apresentações começaram às 18h, na Praça do Povo do Espaço Cultural, no bairro de Tambauzinho, e o evento contou com transmissão ao vivo no G1 Paraíba. Veja como foram os shows do Campus Festival 2018. Saiba tudo sobre o Campus Festival 2018. Val Donato foi a primeira a subir ao palco, animando o público com um setlist repleto de rock autoral, incluindo a destacada "Faca Amolada". A cantora paraibana também interpretou músicas de Nação Zumbi, Raimundos e O Rappa. Banda 3030 no Campus Festival 2018 Gabriela Muniz/G1 Em seguida, o grupo de rap baiano 3030 mostrou o motivo das centenas de milhões de visualizações que acumula no YouTube. Com uma mistura que uniu hip hop acústico, samba e uso de samplers, a banda emocionou fãs e tocou vários sucessos, além das músicas do novo álbum ("Alquimia". Veja como foram os shows no Campus Festival que aconteceu no Espaço Cultural De acordo com a banda, este é o CD mais conceituado da trajetória do 3030 e tem lançamentos programados até o meio deste ano. "Foda Que Ela É Linda" foi um dos pontos altos da apresentação. Por volta das 20h30, o duo Anavitória começou um show que alternou músicas mais calmas como "Trevo" (parceria com Tiago Iorc) e outras mais agitadas, como "Clareiamô" (parceria com o cantor Saulo Fernandes), além de covers de Almir Sater e dos Novos Baianos. A apresentação da dupla foi quase integralmente cantada junto com as milhares de vozes que estiveram presentes na noite de sábado no Espaço Cultural. Anavitória no Campus Festival Reprodução/G1 Encerrando a noite, a apresentação que comemora os 30 anos do primeiro disco do Legião Urbana, com os fundadores Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos, além de André Frateschi nos vocais, foi aberta com a clássica “Será”. O show seguiu com um desfile de sucessos - “Por Enquanto”, “Pais e Filhos”, “Geração Coca-Cola” e “Faroeste Caboclo” “Que país é esse?” estão no setlist da banda. O projeto Legião Urbana XXX Anos relembrou o auge da banda, com André Frateschi simulando os mesmos trejeitos do líder do grupo Renato Russo. Dado e Bonfá também se revezavam com o vocalista principal, o primeiro se destacou ao cantar "Teatro dos Vampiros", o segundo emocionou o público com "Pais e Filhos". André Frateschi com Legião Urbana XXX Anos no Campus Festival 2018 Reprodução/G1
Veja Mais

19/05 - Com 2 mil barquinhos de papel, fã-clube de Anavitória viaja 2,4 mil km para show no Campus Festival
Anavitória faz show neste sábado, no Campus Festival 2018, em João Pessoa. Fãs de diferentes estados do Brasil viajaram para João Pessoa apenas para assistir ao show da dupla Anavitória Jéssica Queiroz/Arquivo Pessoal Dois mil barquinhos de papel, 200 balões, girassóis em miniatura e viagens de até 2,4 mil quilômetros. Essas preparações são das fãs do duo Anavitória que vão assistir ao show no sábado (19), durante o Campus Festival. O fã-clube 'Anavitória Paraíba' está cheio de elementos para fazer o show junto com as cantoras. Uma das fãs vai praticamente cruzar o Brasil, e viajar de Porto Velho, capital de Rondônia, para assistir à apresentação no evento que acontece no Espaço Cultural José Lins do Rêgo, em João Pessoa. Saiba tudo sobre o Campus Festival 2018 Confira a programação completa do Campus Festival 2018 O que esperar do show de Anavitória no Campus Festival 2018 "As meninas não sabem mas conectam pessoas do Brasil inteiro através da música delas. Então pedi folga do trabalho e vim para o Campus Festival. Vai ser muito bom curtir o show com o pessoal do fã-clube", afirmou Jéssica Cristina, que viajou de Porto Velho para João Pessoa apenas para o evento. Segundo a presidente do fã-clube Anavitória Paraíba, Jéssica Queiroz, a expectativa do grupo de cerca de 25 pessoas para o show é a maior possível. "Expectativa é grande. Dessa vez vem muitas meninas do fã-clube, vem gente de Porto Velho e Goiânia. E a gente está nas preparações para levar barquinhos de papel, balões. Estamos também tentando entregar girassóis por conta da música 'Fica'. A expectativa é realmente muito grande", declarou. Além de Porto Velho, tem fã que vai vir de Goiânia, capital de Goiás, diretamente para curtir o show das tocantinenses. "Vim para conhecer o pessoal do fã clube e também porque na minha cidade não acontecem muitos shows. Conversamos muito sobre a carreira das meninas, criamos amizades, e quando surgiu a oportunidade eu dei um jeito para vir", disse Iohanny Cristina. Para Jéssica Queiroz, é uma felicidade, porque mesmo sem Ana Caetano e Vitória Falcão saberem, elas unem diversas pessoas. "Vem gente do Brasil inteiro, e elas não sabem, mas esse amor que elas têm transbordam para gente, acabamos transbordando também de nós e criamos amizades", disse Jéssica Queiroz. Vitória Falcão, da Anavitória; duo faz show no Campus Festival 2018 Marcos Nagelstein / Agência Preview Preparação para o show E tem preparação especial para as fãs fazerem o show junto com as cantoras. Serão produzidos cerca de dois mil barquinhos de papel, para serem erguidos no momento da música 'Barquinho de papel'; aproximadamente 200 balões - vermelhos e pretos - para a música 'Cores', além de pequenos girassóis para a música 'Fica'. Sobre o repertório, Jéssica disse que todas as músicas são boas e não podem faltar. Mas elencou uma em especial que não pode ficar de fora do repertório do show de Anavitória neste sábado no Campus Festival: 'Trevo (Tu)'. A faixa é o primeiro sucesso do duo e responsável por alavancá-las para a projeção nacional. Questionada sobre o porquê que todos precisam ouvir e conhecer Anavitória, Jéssica ressaltou que além das qualidades musicais e vocais, a música delas transmitem paz e amor. Dupla Anavitória é atração do Campus Festival 2018 Eduardo Deconto/G1
Veja Mais

19/05 - Guitarra amarela de Prince é arrematada em leilão por US$ 225 mil
Leilão em NY arrecadou US$ 2 milhões com dezenas de artigos de Prince. Guitarra Cloud de Prince Don Emmert / AFP Photo Uma guitarra amarela feita para Prince, que morreu em 2016, foi arrematada nesta sexta-feira (18) por US$ 225 mil em um leilão de joias, roupas e objetos do músico em Nova York, informou a empresa Julien's Auctions. A guitarra amarela "Cloud", chamada assim por seu corpo retorcido único, estava avaliada em entre US$ 60 mil e US$ 80 mil, segundo Julien. No ano passado, a casa de leilões vendeu outra guitarra Cloud por US$ 700 mil. As "Clouds" foram criadas para Prince pelo luthier de Minneapolis Dave Rusan, incluindo a usada no filme de 1984 "Purple Rain", onde o alter ego de Prince "The Kid" a recebe de presente da namorada Apollonia. O leilão, que arrecadou US$ 2 milhões, incluiu dezenas de artigos de Prince, conhecido por seu estilo único e extravagante. Prince morreu aos 57 anos em abril de 2016 em seu estúdio de Paisley Park vítima de uma dose acidental de analgésicos potentes.
Veja Mais

18/05 - Luan Santana e Fernanda Souza vão apresentar o 'SóTocaTop', aos sábados na TV Globo
Programa terá rankings semanais de sucessos da música brasileira. Luan Santana na estreia carioca do show 'X' Divulgação / Glaucon Fernandes Luan Santana e Fernanda Souza vão apresentar o novo programa "SóTocaTop", aos sábados, na TV Globo. A informação foi confirmada nesta sexta-feira (18) pela emissora. O programa terá rankings semanais de sucessos da música brasileira. A parada será feita com base no desempenho das canções nas rádios e na internet. A direção artística é de Raoni Carneiro e o "SóTocaTop" tem estreia marcada para julho. Luan e Fernanda já apresentaram programas no Multishow. Ela comanda o "Vai Fernandinha" e ele já esteve no "Canta, Luan".
Veja Mais

13/05 - Israel ganha festival Eurovisão com canção inspirada no movimento 'MeToo'
Canção 'Toy' foi interpretada pela cantora israelense Netta Barzilai, de 25 anos. Vencedor de 2017, o português Salvador Sobral se apresentou junto com um de seus ídolos: Caetano Veloso. A cantora Netta, de Israel, celebra a vitória no festival Eurovisão em Lisboa, Portugal, na noite deste sábado (12) Armando Franca/AP Israel ganhou pela quarta vez o Festival Eurovisão com uma canção inspirada no movimento mundial #MeToo, usada por mulheres que sofreram violência sexual. A canção "Toy" foi interpretada pela cantora israelense Netta Barzilai, de 25 anos, que lançou uma mensagem a favor da emancipação feminina e contra toda forma de assédio. "Obrigada por terem aceitado a diferença e apoiado a diversidade", declarou a cantora, chorando. "Adoro o meu país". Israel já havia vencido as edições de 1978, 1979 e 1998 do Eurovisão, festival que é realizado desde 1956. A origem da hashtag 'Me Too', usada por mulheres que sofreram violência sexual Laura Rizzotto, cantora brasileira com dupla cidadania, representa a Letônia no Eurovisão Favorita das casas de apostas, a israelense ficou em segundo lugar na competição em um primeiro momento. O candidato austríaco Cesar Sampson ficou em primeiro após o voto dos júris profissionais nacionais, o que gerou grande surpresa. Mas Netta conquistou o público com sua voz potente, seus trejeitos e sua dança e venceu graças aos pontos da votação dos telespectadores. Portugal A 63ª edição do concurso foi realizada na noite deste sábado (12) em Lisboa. Portugal sediou o evento após ganhá-lo pela primeira vez no ano passado, na Ucrânia, com Salvador Sobral. Neste ano, ficou em último lugar. Um momento alto da noite foi protagonizado por Salvador Sobral, que subiu ao palco junto com um de seus ídolos, Caetano Veloso, na primeira apresentação do artista português após um transplante de coração em dezembro. Vencedor do Eurovisão de 2017, Salvador Sobral se apresenta com Caetano Veloso Pedro Nunes/Reuters Com um orçamento de 20 milhões de euros, o menor da última década, a televisão pública portuguesa RTP desenhou um espetáculo mais "teatral", limitando o uso de projeções de vídeo e novas tecnologias. O objetivo era honrar a ideia lançada há um ano por Salvador Sobral: "A música não são fogos de artifício, mas sentimentos". Cantor português Salvador Sobral espera por transplante de coração
Veja Mais

10/05 - 'Darth Vader' rege Orquestra Sinfônica do Espírito Santo
Maestro Helder Trefzger se vestiu como o vilão de Star Wars para reger a orquestra no momento que foi tocada a trilha sonora da saga. Apresentação também acontece nesta quinta (10), em Vitória. Darth Vader rege orquestra sinfônica no ES A cena é a Orquestra Sinfônica do Espírito Santo tocando no palco do Teatro da Ufes, em Vitória, mas o maestro que rege os músicos é ninguém menos do que "Darth Vader". A brincadeira foi feita pelo maestro Helder Trefzger, mas a temática pedia o traje especial: era a apresentação da série "Cinema Especial", com trilhas de filmes, que vai até esta quinta-feira (10). No vídeo gravado pela jornalista Erika Piskac, da Secretaria de Estado da Cultura (Secult-ES), na noite desta quarta-feira (9), o maestro toca a Marcha Imperial, da saga Star Wars, e alguns músicos usam arcos iluminados, como se fossem sabres de luz. A música original é do compositor norte-americano John Williams. Nessa série, a maior parte da regência é feita pelo maestro Leonardo David, mas nesse momento em especial, quem assume a 'pele' do vilão de Star Wars é o maestro Helder Trefzger. Ao longo da apresentação, os músicos também tocaram os temas dos filmes clássicos “E.T”. - O Extraterrestre”, “Tubarão”, “Super Homem”, “O Patriota” e “Jurassic Park”, que também são de John Williams; “Pearl Harbor”, de Hans Zimmer; “Piratas do Caribe”, de Klaus Badelt; e a famosa abertura “20th Century Fox”, de Alfred Neuman. Serviço Série Cinema Especial- A Orquestra Sinfônica do Estado do Espírito Santo (Oses) Onde: Teatro Universitário da UFES | Goiabeiras, Vitória Quando: 10 (quinta-feira) Horário: 20h Ingressos: R$10 (inteira) e R$5 (meia) Informações: 3335-2953 Maestro entrou vestido de Darth Vader no meio do público, antes de começar a reger a apresentação Erika Piskac/Secult-ES Maestro se vestiu de Darth Vader para apresentação da Oses sobre temas de filmes Erika Piskac/Secult-ES
Veja Mais

09/05 - Show de Gusttavo Lima em Birigui está com ingressos à venda
Apresentação será na sexta-feira (11) e ingressos estão sendo vendidos na internet. Gusttavo Lima vai se apresentar em Birigui (SP) Mateus Rigola/G1/Arquivo Estão à venda os ingressos para o show do cantor sertanejo Gusttavo Lima, que será realizado em Birigui (SP), na sexta-feira (11). Na apresentação, os fãs do cantor esperam por sucessos como “Apelido Carinhoso”, “Que Pena Que Acabou” e “Homem de Família”. Os ingressos estão sendo vendidos na internet a R$ 110 a área VIP e R$ 49,50 a meia-entrada. Serviço O cantor Gusttavo Lima vai se apresentar a partir das 22h de sexta-feira, na Arena Coberta do Alto do Silvares, localizado na Avenida Youssef Ismail Mansour, em Birigui. Veja mais notícias da região no G1 Rio Preto e Araçatuba
Veja Mais

02/05 - Kanye West cria nova polêmica ao chamar escravidão de 'opção'
Em entrevista ao TMZ, ele falou de elogios a Donald Trump e disse: 'A gente ouve dizer que a escravidão durou 400 anos. 400 anos? Parece uma opção'; veja. Kanye West em evento em Nova York, em maio de 2016 REUTERS/Lucas Jackson Kanye West, que já tinha sido alvo de críticas por ter apoiado Donald Trump, voltou a criar polêmica nesta terça-feira (1) ao afirmar que a escravidão é uma "opção". "A gente ouve dizer que a escravidão durou 400 anos. Quatrocentos anos? Parece uma opção", disse o rapper de Chicago, em entrevista ao site sobre celebridades TMZ por ocasião do próximo lançamento de seus dois álbuns mais recentes. "Estamos em uma prisão mental. Gosto da palavra 'prisão' porque 'escravos' está ligada demais aos negros", declarou. Veja trechos da entrevista abaixo: Initial plugin text "Sei, é claro, que os escravos não foram acorrentados e embarcados porque queriam", escreveu no Twitter após receber uma saraivada de críticas. Mas "não podemos permanecer mentalmente prisioneiros nos próximos 400 anos", destacou. O artista, de 40 anos, casado com a modelo Kim Kardashian, voltou a frequentar as redes sociais em abril, depois de uma longa ausência, atribuída a uma depressão e uma hospitalização. Kanye West elogia Trump: 'Ele é meu irmão'; presidente agradece e Kim Kardashian nega problema mental Muitos artistas da comunidade hip-hop, majoritariamente negra e contrária ao presidente republicano, criticaram o rapper, mas "Yeezy" - como é apelidado - recebeu o apoio de colunistas conservadores. Em 2005, após o devastador furacão Katrina passar por Nova Orleans, West acusou na TV o então presidente George W. Bush de "não prestar atenção nos negros". Na terça-feira, admitiu ter se sentido ofendido porque Barack Obama não o convidou à Casa Branca. Em 2009, o presidente democrata, também negro e nascido em Chicago, o desqualificou por seu comportamento nos MTV Video Music Awards, quando "Yeezy" interrompeu a cerimônia para afirmar que Taylor Swift não merecia ser premiada. Obama "nunca ligou para se desculpar", lamentou o rapper.
Veja Mais

01/05 - Avicii: causa da morte do DJ sueco foi suicídio, diz site
Segundo o TMZ, fontes disseram que o músico tirou a própria vida. DJ sueco foi encontrado morto aos 28 anos em 20 de abril.  Avicii em foto publicada no Facebook em janeiro de 2018 Reprodução/Facebook/Avicii A causa da morte do DJ e produtor sueco Avicii, encontrado morto aos 28 anos em 20 de abril, foi suicídio, informou nesta terça-feira (1º) o TMZ. O site atribuiu a informação a fontes não identificadas. A causa da morte do DJ, um dos nomes mais populares da música eletrônica nos últimas anos em todo o mundo, não havia sido divulgada. Em 26 de abril, a família divulgou um comunicado dizendo que Avicii "era uma alma frágil", "não podia continuar mais" e "lutava com pensamentos sobre Significado, Vida e Felicidade". Apesar de indicar que ele enfrentava "questões existenciais", a nota não falava em suicídio. Veja, abaixo, o comunicado da família de Avicii: Avicii se apresenta no festival Summerburst, no estádio Ullevi em Gotemburgo, na Suécia, em 2015 Bjorn Larsson Rosvall / Agência de Notícias TT / via REUTERS "Estocolmo, 26 de abril de 2018. Nosso amado Tim era um 'buscador', uma alma artística frágil buscando respostas para suas questões existenciais. Uma pessoa super capaz, perfeccionista, que viajava e trabalhava duro , numa velocidade que levou ao cansaço extremo. Quando ele parou de fazer turnês, ele queria achar um equilíbrio na vida para ser feliz e poder fazer o que ele amava mais - música. Ele realmente lutava com pensamentos sobre Significado, Vida e Felicidade. Ele não podia continuar mais. Ele queria encontrar paz. Tim não era adaptado para a máquina de negócios em que ele se encontrou; ele era um cara sensível que amava seus fãs mas saiu dos holofotes. Tim, você vai ser para sempre amado e vamos sentir sua falta. A pessoa que você era e sua música vão manter sua memória viva. Nós te amamos, sua família". 5 hits de Avicii
Veja Mais

27/04 - Ingressos para show da Anitta em Fernandópolis estão à venda
Apresentação será a partir das 22h de sábado (28). Cantora Anitta vai se apresentar em Fernandópolis (SP) neste sábado (28) Divulgação Estão à venda os ingressos para o show da cantora Anitta, que será realizado neste sábado (28), em Fernandópolis (SP). Na apresentação, os fãs da artista esperam por sucessos como “Paradinha”, “Vai malandra” e o mais novo hit “Romance com Safadeza”, gravado em parceira com Wesley Safadão. Os ingressos estão à venda na internet. A pista custa R$ 40 e o camarote é R$ 80. Serviço A cantora Anitta vai se apresentar a partir das 22h de sábado no Bartoshow Expo, localizado na avenida Augusto Cavalim, 2098, em Fernandópolis. Veja mais notícias da região no G1 Rio Preto e Araçatuba
Veja Mais

25/04 - Virada Cultural 2018: programação terá Xuxa, Balão Mágico, Caetano Veloso e palco gospel em SP
Interlagos e Anhembi, que tiveram público baixo em 2017, saem de cena, mas evento terá novos palcos fora do Centro. Virada será dias 19 e 20 de maio. Xuxa Meneghel vai se apresentar na Virada Cultural de São Paulo Alexandre Durão/G1 A Virada Cultural de São Paulo vai transformar o Vale do Anhangabaú num parque de diversões com Xuxa e Balão Mágico entre os dias 19 e 20 de maio. Entre as outras atrações do evento estão de Beth Carvalho a Jota Quest, passando por Caetano Veloso, É o Tchan é um palco dedicado à música gospel. O anúncio foi feito pelo secretário municipal de Cultura, André Sturm. Veja a programação da Virada Cultural de SP Segundo Sturm, assim como em 2017, a Virada Cultural pretende se descentralizar. Alguns dos principais palcos da edição passada, porém, como o autódromo de Interlagos e o sambódromo do Anhembi, saíram da programação. Longe do centro, a Virada estreia na Praça do Campo Limpo (Zona Oeste), onde se apresenta o sambista Diogo Nogueira, e no estacionamento do Itaquerão (Zona Leste). A Chácara do Jockey está mantida na programação. “A descentralização leva as pessoas a descobrirem que ao lado da casa delas tem um teatro, um centro cultural, uma biblioteca”, disse Sturm. “Não é todo mundo que pode vir pro centro.” Em 2017, única Virada feita na gestão João Doria, a grande novidade foi a alocação dos principais artistas em palcos fora do centro. Muitas das atrações ficaram esvaziadas - segundo Doria, por conta da chuva que caiu na cidade durante o evento. Caetano Veloso no FIB 2017 Laecio Lacerda Centro Agora, muitas das principais atrações voltam ao centro da cidade, como Xuxa, Gretchen É-o Tchan e Caetano Veloso. Os dois últimos se apresentam em trios elétricos, sendo que Caetano estará acompanhado do bloco Tarado Ni Você. A Avenida Paulista também entra no evento com todos os seus museus e equipamentos culturais abertos de graça e em horário estendido no fim de semana. No Boulevard São João passam Ira!, Nação Zumbi e Geraldo Azevedo cantando álbuns de destaque de suas carreiras. Também no Centro, a Biblioteca Mário de Andrade promove leituras dramáticas, intervenções, apresentações de teatro e exibição de filmes. A Praça da República recebe o palco Queer. Parque da Juventude Na Zona Norte, o Parque da Juventude também faz sua estreia na Virada Cultural. As atrações gospel estarão concentradas no Centro Esportivo Tietê. Outra diferença em relação à Virada de Doria é que não haverá patrocínio privado na edição de 2018. Segundo Sturm, o evento terá um orçamento de R$ 13 milhões, e espera um público total de entre 3 milhões e 3,5 milhões de pessoas. Em 2017, chuva atrapalhou atrações no palco da Virada Cultural no Autódromo de Interlagos G1
Veja Mais

24/04 - Shows de Pabllo Vittar em Porto Alegre e Santa Maria são cancelados
Apresentações estavam agendadas para a próxima sexta-feira (27), na cidade do interior, e sábado (28) na capital gaúcha. Assessoria de imprensa da artista diz que houve descumprimento contratual por parte da produtora do evento. Pabllo Vittar em evento de lançamento do festival Milkshake Fabio Tito / G1 Dois shows da cantora Pabllo Vittar no Rio Grande do Sul foram cancelados nesta semana. A artista se apresentaria na próxima sexta-feira (27) em Santa Maria, na Região Central do estado, e no sábado (28), em Porto Alegre. Conforme a assessoria de imprensa de Pabllo, o cancelamento se deve ao "descumprimento contratual por parte do produtor". Ainda segundo a assessoria, quem comprou os ingressos deve entrar em contato com a produtora. O G1 tentou contato a produtoras responsáveis pelos eventos, e aguarda retorno. Os ingressos ainda são anunciados pela internet, e a empresa responsável pela comercialização diz não ter sido avisada sobre o cancelamento. A Bistrô Produções, uma das empresas responsáveis pelos shows informou que os espetáculos foram cancelados "por motivos de desacordo comercial". A produtora informa ainda que caso o ingresso tenha sido comprado em uma loja Multisom, o valor deve ser 100% reembolsado com a apresentação do ingresso. Caso a compra tenha sido realizada pela internet, com cartão de crédito, o valor será automativamente estornado, e caso o pagamento tenha sido feito por meio de boleto bancário, o reembolso deve ser solicitado pela página do Minha Entrada. O G1 tentou saber mais informações sobre o assunto com a assessoria de Pabllo, que informou que não vai se manifestar além do que já foi informado pela nota. Nota da assessoria de Pabllo Viemos aqui comunicar ao público e fãs de Santa Maria e Porto Alegre/ RS o cancelamento dos shows que aconteceriam nos dias 27/04 e 28/04, respectivamente, por motivo de descumprimento contratual por parte do produtor do evento que é o mesmo para ambas as cidades. Pedimos que todos aqueles que compraram ingressos antecipadamente entrem em contato com a produção do evento. Esperamos que possamos voltar às cidades o mais breve possível. Com carinho, Equipe PV.
Veja Mais

24/04 - Spotify aprimora versão gratuita, sob pressão da Apple e Amazon; veja o que muda
Veja as novidades do serviço de streaming mais popular do mundo. Usuário gratuito tem acesso livre a 15 playlists; modo de baixo consumo reduz o uso de dados. Serviço de streaming de música Spotify. Divulgação/Spotify A plataforma de música em streaming Spotify apresentou nesta terça-feira (24) uma nova versão gratuita para smartphones, a fim de fortalecer sua posição de líder no mercado, enquanto Apple e Amazon tentam alcançá-la. "Sabemos que esta é a única forma de atingir nosso objetivo de atrair bilhões de seguidores para a plataforma e fazer com que toda a indústria da música tenha o tamanho que deveria ter, segundo nós", explicou Gustav Soderstrom, chefe de pesquisa e desenvolvimento da companhia sueca em um evento em Nova York. O executivo explicou que 60% dos assinantes que pagam tinham sido, inicialmente, usuários do serviço gratuito. O serviço gratuito agora terá menos restrições, indicou o Spotify. Até agora, a versão móvel só permitia reproduzir músicas em modo aleatório, e o aplicativo escolhia as canções dentro de uma lista de reprodução. O Spotify, além disso, restringia o número de reproduções para uma mesma canção. Veja as novidades: A nova oferta agora permite que os usuários da versão gratuita escutem a faixa desejada quantas vezes quiserem, contanto que apareça em uma das 15 listas de reprodução personalizadas da plataforma. O usuário poderá acessar canções que não aparecem nestas listas de reprodução, mas terá de voltar ao modo aleatório para reproduzi-las. O Spotify também anunciou o lançamento de um modo de baixo consumo, que pode usar até 75% menos de dados para reproduzir músicas on-line. Por outro lado, o modo gratuito ainda tem desvantagens: O serviço gratuito continuará incluindo anúncios publicitários, diferentemente da versão paga. Não será possível baixar canções para ouvi-las sem conexão à internet, como está disponível na versão paga. O Spotify foi lançado na Bolsa de Nova York em 3 de abril. Nesta terça-feira, sua cotação se situou em 155,65 dólares por ação perto 13h10 (em Brasília), uma queda de 1,51% desde a abertura e de 6,17% em relação ao preço inicial. Daniel Ek, CEO do Spotify, durante evento em Nova York. Shannon Stapleton/Reuters
Veja Mais

23/04 - George Ezra anuncia show gratuito no Cultura Inglesa Festival em SP no dia 10 de junho
Cantor britânico do hit 'Budapest' fará seu primeiro show no Brasil. Iza também vai participar com suas músicas em português e covers em inglês. George Ezra Divulgação O cantor britânico George Ezra vai ser a atração principal do Cultura Inglesa Festival 2018, que acontece no dia 10 de junho no Memorial da América Latina, em São Paulo. O festival tem engrada gratuita. Os ingressos começam a ser distribuídos para o público geral no dia 28 de maio. Será o primeiro show de George Ezra no Brasil. Ele estourou com o single "Budapest", em 2014, e acaba de lançar o segundo disco, "Staying at Tamara's". Outra atração do Cultura Inglesa Festival em 2018 será a cantora brasileira Iza. Ela vai tocar suas músicas, como o hit "Pesadão", e covers em inglês. A bandas Staff only e Madame Groove também se apresentam. Cultura Inglesa Festival 2018 Data: 10 de junho (domingo) Shows: George Ezra, Iza, Madame Groove e Staff Only Horários: 15h: abertura dos portões; 16h: início dos shows Local: Memorial da América Latina – Praça Cívica Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 - Próximo à estação de metrô Barra Funda Capacidade: 20 mil pessoas Ingressos: retirada gratuita Datas de retirada: 14 a 27/05 - Retirada exclusiva para alunos e funcionários da Cultura Inglesa; 28/05 a 09/06 - Retirada para o público geral; sujeito a disponibilidade Retirada no site www.livepass.com.br, no aplicativo da Livepass e nas unidades FNAC Paulista, Pinheiros e Morumbi. Veja mais informações no site do festival.
Veja Mais

23/04 - Show da banda Capital Inicial em Rio Preto está com ingressos à venda
Venda dos ingressos está no segundo lote. Apresentação será no dia 19 de maio. Banda Capital Inicial vai se apresentar em São José do Rio Preto (SP) Alexandre Durão/G1/Arquivo Estão à venda os ingressos para o show da banda Capital Inicial, que vai se apresentar no Centro Regional de Eventos, em São José do Rio Preto (SP) no dia 19 de maio. O cantor Dinho Ouro Preto junto aos músicos vão apresentar os sucessos do grupo, como “Depois da Meia Noite”, “À Sua Maneira”, “Quatro Vezes Você” e “Não Olhe Pra Trás”. A venda dos ingressos está no segundo lote e está sendo feita na internet. O preço da arquibancada é de R$ 50. O valor da área VIP com open bar é R$ 90. Também estão sendo vendidas mesas para oito pessoas em diferentes setores. Serviço O show da banda Capital Inicial será a partir das 22h de sábado, dia 19 de maio, no Centro Regional de Eventos de São José do Rio Preto, localizado na avenida José Munia, 5650. Mais informações podem ser obtidas nos telefones Informações: (17) 3022-1894. Veja mais notícias da região no G1 Rio Preto e Araçatuba
Veja Mais

17/04 - Corpo de Dona Ivone Lara é velado na quadra da escola de samba Império Serrano, no Rio
Sambista morreu por conta de um quadro de insuficiência cardiorrespiratória.  Despedida lotou quadra da Império Serrano em Madureira na tarde desta terça-feira (17).  Dona Ivone Lara morre aos 97 anos O corpo de Dona Ivone Lara foi velado na quadra da escola de samba Império Serrano, no final da manhã desta terça-feira (17), em Madureira, Zona Norte do Rio. A sambista morreu na noite desta segunda-feira (16) por conta de um quadro de insuficiência cardiorrespiratória. Ela estava internada desde sexta-feira (13), data em que completou 96 anos, no Centro de Tratamento e Terapia Intensiva (CTI) da Coordenação de Emergência Regional (CER), no Leblon, na Zona Sul da cidade. Quadra da Império Serrano lotada para a despedida de Dona Ivone Lara Marcos Serra Lima/G1 Parentes, amigos e fãs foram até Madureira para se despedir da 'Dama do Samba'. O caixão recebeu a bandeira da Império Serrano e do América, clube de coração da sambista. Fãs levaram capas de discos antigos da cantora. Fãs levam discos antigos para a despedida da cantora Marcos Serra Lima/G1 Por volta das 14h45, amigos iniciaram uma roda de samba para homenagear a sambista com seus principais clássicos. Amigos e fãs homenageiam Dona Ivone Lara na quadra da Império Serrano O corpo de Dona Ivone Lara deixou a quadra da escola por volta das 16h sob aplausos e ao som de seus maiores sucessos: Sonho Meu e Acreditar. Na rua em frente à quadra, público se despediu cantando. Corpo deixa quadra da Império Serrano ao som de sucessos de Dona Ivone Lara Amigos sambistas se despedem da cantora fazendo uma batucada Marcos Serra Lima/G1 Repercussão: amigos e netos A cantora Alcione falou do legado da sambista e chamou Dona Ivone de "matriarca do samba". Os netos da sambista também celebraram a carreira da avó mesmo em um dia de tristeza. Alcione fala sobre o legado da 'Dama do Samba' "Ao mesmo tempo que é um dia de muita tristeza, temos que celebrar essa carreira maravilhosa. Minha avó foi um ser de luz. Ela era muito humilde, às vezes não tinha noção dessa representatividade dela para a música e para o país. É muito orgulho para mim (ser neto)", diz André Lara. Segundo ele, as composições inéditas da avó devem ser recuperadas. "Ela sempre compôs e teve muitos parceiros. São coisas que não foram gravadas, músicas que foram resgatadas e finalizamos. Se Deus quiser, vamos tirá-las do baú". Corpo de Dona Ivone Lara é velado na quadra do Império Serrano Gabriel Barreira / G1 Bandeiras do América e do Império Serrano no caixão da sambista Marcos Serra Lima/G1 O sambista e amigo Marquinhos de Oswaldo Cruz, que comandou homenagem para Dona Ivone Lara no sábado (14), afirma que Dona Ivone fez história não só no samba. "Ela conseguiu ser a maior compositora da história do país, não só do samba. Do país, e sem perder a essência do morro. Ninguém queria entrar no palco depois dela no final dos anos 90. Ela levantava o povo", afirmou Marquinhos. Alfredo Lara, filho de Dona Ivone, diz que ela precisou vencer barreiras até mesmo em casa. "Ela ia no samba mas não frequentava, meu pai ficava com ciúme. Quando viu que era a carreira que ela queria seguir, e que todo mundo elogiava, ele aceitou". Alcione no velório de Dona Ivone Lara Patrícia Teixeira/G1 “Dona Ivone só tem coisa boa, ela nasceu para fazer sucesso. Uma grande amiga minha, parecia que era da família. Gravei 'Tiê', mas gosto de muitas outras: 'Sorriso Negro', 'Acreditar'. Ela tinha muita criatividade, dizem que muitas canções inéditas, tenho curiosidade de ver e com certeza vamos ver”, comentou Alcione. O enterro de Dona Ivone Lara está marcado para as 16h30 no cemitério de Inhaúma, também na Zona Norte do Rio. A cantora e compositora Dona Ivone Lara se apresenta no evento Tim Festival, no auditório do ibirapuera, em São Paulo, em outubro de 2005 Valéria Gonçalvez/Estadão Conteúdo/Arquivo Doença e trajetória Dona Ivone Lara já vinha apresentando um quadro de anemia e precisou receber doações de sangue. O estado de saúde dela já era considerado bastante grave. No hospital, a família comentou a morte da sambista. "Ela estava sempre procurando um caderninho pra escrever uma música, estava sempre cantarolando pro neto. Até a última semana ela estava superbem, com a cabeça ótima. Ela estava muito fraquinha, mas a cabeça estava ótima", contou a nora Eliana Lara Martins da Costa. Segundo o colunista Mauro Ferreira, Dona Ivone Lara morreu aos 96 anos e não aos 97 anos, como informam quase todas as fontes, pois nasceu em 1922, não em 1921. A data de 1921 foi forjada pela mãe da artista em 1932 para que ela pudesse ser admitida em colégio interno, cuja idade mínima para o ingresso era 11 anos. O ano de 1921 passou a constar até nos documentos de Ivone, mas ela nasceu de fato em 13 de abril de 1922. Essa questão já foi esclarecida na biografia de Ivone. Conhecida como a “Grande Dama do Samba”, ela nasceu em família de amantes da música popular e enfrentou o preconceito por ser mulher e sambista. Seu maior sucesso é “Sonho meu”, música que estourou nas paradas de sucesso com Maria Bethânia e Gal Costa. A cantora e compositora Dona Ivone Lara durante o Viradão Carioca, no centro do Rio de Janeiro, em abril de 2010 Wilton Júnior/Estadão Conteúdo/Arquivo Initial plugin text
Veja Mais

17/04 - Paula Fernandes agradece irmãos que devolveram mala esquecida em aeroporto: 'Nosso país ainda tem jeito'
Cantora esqueceu bagagem na área de desembarque do aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Moradores de São Roque (SP) contam que se surpreenderam quando viram quem era a dona da mala. Paula Fernandes postou vídeo para agradecer dupla que devolveu mala esquecida no aeroporto de Congonhas Reprodução/Instagram A cantora Paula Fernandes postou um vídeo de agradecimento após recuperar uma mala que esqueceu no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, na segunda-feira (16). A bagagem foi encontrada por dois moradores de São Roque (SP) que ligaram para o número de telefone que estava na etiqueta e avisaram sobre o esquecimento. No vídeo ela agradece os rapazes várias vezes. "Esses dois são a prova de que o Brasil ainda tem jeito. Vocês merecem palmas. Sem palavras, estou chocada", afirma a cantora. (Veja o vídeo abaixo) Paula Fernandes agradece dupla de São Roque que devolveu mala esquecida em aeroporto Paula Fernandes contou, em seu perfil no Instagram, como aconteceu o esquecimento e o gesto de honestidade que a deixou surpresa. A publicação foi curtida mais de 23 mil vezes: "Agora há pouco pousamos em Congonhas e na correria para colocar as bagagens no carro acabamos esquecendo uma das malas na calçada! Seguimos viagem... De repente, um número desconhecido liga insistentemente no cel (o número estava na tag da mala) e atendemos! Dois rapazes estavam com minha mala e gentilmente nos esperaram para devolvê-la, lá onde a deixamos! Detalhe: eles não sabiam que a mala era minha! É por gestos como este que acredito que nosso país ainda tem jeito! Ninguém perde por ser honesto! Nossa! Muito obrigada Wellington e Udenilton de São Roque! Deus os abençoe!" Initial plugin text Surpresa Em entrevista ao G1, o microempresário Udenilton Almeida de Jesus, de 36 anos, contou que ele e o irmão, o caminhoneiro Wellington Almeida de Jesus, 37 anos, não sabiam que a mala era da cantora quando a encontraram no aeroporto. “A gente tinha acabado de chegar de viagem, estávamos saindo do aeroporto quando vimos que parou um carrão enorme lá na frente. O motorista estava colocando as malas no porta-malas e, de repente, fechou o carro e foi embora, deixando uma para trás." Ele e o irmão pegaram a mala e ligaram várias vezes para o número que constava na etiqueta. O motorista da cantora atendeu e combinou de buscar a bagagem na frente do aeroporto. Udenilton conta que, quando soube quem era a passageira esquecida, levou um susto. “Ela desceu do carro e a gente não a reconheceu. O motorista que falou que era a Paula Fernandes e na hora deu um choque. Foi bacana não só por ser a mala dela, porque a gente faria isso para qualquer um. Nosso pai nos ensinou a pegar só o que é nosso e não mexer nas coisas dos outros." Sobre a repercussão do vídeo postado pela cantora na internet, os irmãos garantem que se surpreenderam, mas que ficaram felizes ao ver que tanta gente os parabenizou pela atitude. “É um sentimento que eu vou guardar para o resto da minha vida, vou repassar para a minha filha e o meu irmão para as filhas dele, o quanto a honestidade nos faz bem. É a lei da causa e efeito, se você faz o bem para uma pessoa, você vai receber o bem.” Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí
Veja Mais

13/04 - Spotify compra empresa de licenciamento de 'música cover' para conter riscos de direitos autorais
Loudr foi criada em 2013 para simplificar o processo de pagamento de direitos autorais por músicos que tocam músicas de outros artistas publicamente. Daniel Ek, CEO do Spotify, durante evento em Nova York. Shannon Stapleton/Reuters O Spotify, maior serviço de transmissão de música pela Internet do mundo, anunciou nesta quinta-feira (12) a compra da Loudr.fm, uma empresa de tecnologia de licenciamento baseada em São Francisco para localizar compositores e pagar royalties devidos. A aquisição ajudará a Spotify a encontrar os artistas e garantir que eles sejam pagos por seu trabalho protegido por direitos autorais, uma questão que se deixada sem resposta, deixará a empresa aberta a ações judiciais. Os termos financeiros do acordo não foram divulgados. A Loudr foi criada em 2013 para simplificar o processo de pagamento de direitos autorais por músicos que tocam músicas de outros artistas publicamente. Isso pode incluir versões cover de músicas, amostras, remixes ou medleys. A Loudr se mudará para os escritórios da Spotify em Nova York, informou a empresa. A Spotify, listada na bolsa de valores de Nova York no início deste mês, fez pelo menos dez aquisições pequenas, geralmente focadas na tecnologia, nos últimos anos para melhorar seu serviço.
Veja Mais

12/04 - Pabllo Vittar: figurino da cantora no clipe de 'Indestrutível' será leiloado para ajudar projeto LGBT
Roupas do clipe são oferecidas em leilão na internet para arrecadar verbas para casa em São Paulo que acolhe pessoas LGBT em situação de risco. Pabllo Vittar em cena do clipe de 'Indestrutível' Divulgação O figurino de Pabllo Vittar no clipe recém-lançado de "Indestrutível" será leiloado para arrecadar verbas para a Casa 1, projeto em São Paulo que acolhe pessoas LGBT em situação de risco. Os lances no leilão das roupas podem ser feitos pela interenet, no site Queremos. O resultado será divulgado no dia 24 de abril. Pabllo Vittar lançou, nesta terça-feira (10), o clipe da música "Indestrutível". A balada está no álbum "Vai passar mal", que saiu em janeiro de 2017. O novo vídeo abre com uma cena no banheiro de uma escola. Lá, um jovem tem a cabeça colocada na privada por um grupo de quatro rapazes. Em seguida, antes ainda de a música começar a tocar, a tela exibe o seguinte recado: "73% dos jovens LGBTQ+ no Brasil são vítimas de bullying e violência nas escolas".
Veja Mais

06/04 - Zezé Motta faz show continuar e lança disco de samba em que canta com Arlindo
Aos 51 anos de carreira e quase 74 de vida, Zezé Motta volta ao disco e lança neste mês de abril O samba mandou me chamar, décimo álbum da cantora e atriz fluminense e o primeiro em sete anos. Como o título já anuncia, trata-se de disco de samba, o primeiro inteiramente dedicado ao gênero por Zezé – em foto de Steph Munnier – em carreira fonográfica iniciada em 1975. O álbum está sendo promovido com o bonito samba Missão (Lourenço e Docsantana), cujo clipe entrou ontem, 5 de abril, em rotação na web, mostrando Zezé dar voz aos versos do refrão "Vou pelos palcos da vida, vou / Fazendo o povo vibrar / Coisa de bamba / Vou vendo o povo aplaudir / O show continuar / Cantar meu samba". O repertório do álbum O samba mandou me chamar se desvia de músicas muito conhecidas, ainda que inclua abordagem de Louco (Ela é seu mundo) (Wilson Baptista e Henrique de Almeida, 1943). Dentre os sambas selecionados por Zezé, há um com a assinatura de Arlindo Cruz, Nós dois, composto pelo bamba com Maurição e lançado há 14 anos sem repercussão pelo cantor Evair Rabello no álbum independente Xeque-mate (2004). A regravação de Zezé foi feita com a participação de Arlindo, que está fora de cena desde março do ano passado por conta de problemas de saúde. Outro convidado do disco é Xande de Pilares, cuja voz é ouvida em Alma gêmea (André da Mata, Mingo Silva e Kinho, 2015), pagode romântico lançado em disco há três anos na voz de André da Mata, um dos compositores do samba. Ficar a seu lado (Christiano Moreno e Flavinho Silva) e Batuque de Angola (André Karta Markada e Juninho Mangueira) são sambas propagados ao longo do ano passado na trilha sonora da novela Ouro verde, apresentada em Portugal em 2017 com Zezé no elenco. Já o inédito samba Vem traz as assinaturas de Leandro Fregonesi, Ciraninho e Rafael dos Santos. Fora do terreirão do samba, Zezé regrava Mais um na multidão (Erasmo Carlos, Carlinhos Brown e Marisa Monte, 2001), canção lançada há 17 anos por Erasmo, diretor da Coqueiro Verde Records, gravadora que edita o disco de sambas acalentado pela cantora desde 2007.
Veja Mais

06/04 - De olho no lance, Rincon bate bolão com Rael e Conka em samba-rap sobre futebol
Daqui a dois meses, a bola vai começar a rolar nos gramados da Rússia, dando início a mais uma Copa do Mundo. No campo da música, o jogo já começou. Badalado rapper que participa de recém-lançado single da cantora carioca Iza, Ginga, o paulistano Rincon Sapiência já está de olho no lance e promove a gravação de música inédita, Resenha de futebol, composta por Rincon em parceria com Rael, outro mano do hip hop de São Paulo (SP). Na gravação desse samba-rap que cai no suingue para versar sobre as jogadas do futebol, Rincon e Rael convidaram Karol Conka, a também incensada rapper curitibana, para formar trio da pesada. "Seja bem-vindo ao planeta do futebol", saúda Conka na gravação produzida pelo próprio Rincon Sapiência. Iniciado na cadência bonita do samba, o single Resenha de futebol (Boia Fria Produções) – que gerou clipe filmado sob direção de Fred Ouro Preto e já posto em rotação na web – logo cai na batida sintética do rap, sem perder de vista o balanço do samba. Resenha de futebol bate um bolão, tanto pela batida quanto pelos versos ágeis como o drible de um craque dos gramados. "O balanço da rede é a grande meta", resume Rincon, jogando bem com as palavras e se confirmando ele próprio um craque do escrete do hip hop brasileiro.
Veja Mais

06/04 - Anna Ratto corrige distorção e vai mais longe no álbum de intérprete 'Tantas'
No quinto álbum de estúdio, Tantas, Anna Ratto corrige distorção que prejudicou o anterior disco de músicas inéditas da artista carioca, lançado há seis anos. Em Anna Ratto (2012), a cantora e compositora investiu de forma radical em repertório autoral que soou irregular, ainda que tivesse destaques eventuais como Nem sequer dormi (Anna Ratto, 2012), canção que ganhou clipe em 2015 com a participação de Roberta Sá, cantora de timbre e leveza similares aos de Ratto. Disponível no mercado fonográfico a partir de hoje, 6 de abril de 2018, em edição da gravadora Biscoito Fino, Tantas torna a evidenciar o canto suave de Ratto como intérprete de canções alheias. A compositora assina somente uma (boa) música no disco, a inédita Frevolenta, parceria com Jam da Silva que evoca o regionalismo pop contemporâneo que deu o tom do segundo e até então melhor álbum de Ratto, Girando (2008), lançado há dez anos. Com imponente arranjo de vozes, Frevolenta também expõe uma das marcas de boa parte do disco: a pressão do som tirado pelos produtores de Tantas, JR Tostoi e Marcelo Vig, que tocam guitarra e bateria, respectivamente, além de terem pilotado as programações na medida certa, sem pecar pelo excesso de eletrônica. A pegada roqueira da dupla de produtores sobressai na funkeada Inemurchecível (2012), música do primeiro álbum solo de João Cavalcanti, compositor revelado no grupo carioca de samba Casuarina. E por falar em samba, tem cadência bonita o toque do violão de Fernando Caneca que conduz o registro de Aviéntame (Emmanuel Del Real e Enrique Rangel Arroyo, Issac Ruben Albarran Ortega, 2000), música gravada pelo grupo mexicano de indie rock Café Tacvba para a trilha sonora do filme Amores perros (México, 2000). No mesmo clima ameno, mas aquecida pelo arranjo de metais orquestradas por Jessé Sadoc, a canção Pra você dar o nome (Tó Brandileone, 2011) evidencia a delicadeza da composição em bela gravação que supera os registros fonográficos do cantor Pedro Mariano e do grupo 5 a Seco. Capa do álbum 'Tantas', de Anna Ratto Nana Moraes Disco que começa bem e festivo no tom convidativo de Pode me chamar (Fábio Trummer, 2006), lembrança oportuna dessa música do repertório da pernambucana banda Eddie, o álbum Tantas transita entre a delicadeza e a pegada. Desbunde (Matheus Von Krüger e João Bernardo) carnavaliza a festa no inebriante passo contemporâneo do frevo, com recado político mandado na voz de Carlos Posada e com vocação para o sucesso popular. Já Nicho é canção amorosa que jorra a poesia de Caio Prado, um dos compositores emergentes a que Ratto dá voz com canto que por vezes remete ao tom de Roberta Sá, embora a (natural) semelhança seja atenuada pela identidade do som do álbum Tantas. Com o toque sobressalente da guitarra de Tostoi no arranjo que valoriza canção a rigor mediana, Dom (Ana Clara Horta e Rodrigo Cascardo) evidencia o acerto da escolha dos produtores. Tostoi e Vig formataram o repertório do álbum Tantas com exuberância precisa, incrementando músicas como Nem pensar (Bruna Caram e Duda Brack). A cantora Anna Ratto Divulgação / Nana Moraes O requinte do álbum é sublinhado na canção Ana Luísa (Rodrigo Maranhão) pelas cordas líricas do Quinteto da Paraíba, arranjadas pelo contrabaixista Xisto Medeiros para a gravação desta música que reitera a identidade plural de Anna Ratto, artista nascida há quase 40 anos, em novembro de 1978, com o nome de Anna Luisa Soares Rodrigues da Cunha Ratto. Uma cantora que teve que adotar o nome artístico de Anna Ratto em 2009 por questões jurídicas, mas que continuou sendo ela mesma. "E mais longe eu vou / Pra quem aprendeu de cor / Ana, só Ana, e todas eu sou", avisa nos versos da bonita canção de Maranhão. Sim, ao corrigir em Tantas a distorção do anterior álbum de estúdio, Anna Ratto vai realmente mais longe com este álbum revigorante. (Cotação: * * * *)
Veja Mais

06/04 - Grupo Ponto de Equilíbrio lança disco gravado em show em festival de reggae
Bairro carioca imortalizado no cancioneiro do compositor Noel Rosa (1910 – 1937), Vila Isabel deu muito samba desde a década de 1930, mas décadas depois também serviu de cenário para o plantio do reggae. Disponível nas plataformas digitais a partir de hoje, 6 de abril, o álbum Ponto de Equilíbrio ao vivo no República do Reggae em Salvador expõe os frutos colhidos pelo grupo carioca Ponto de Equilíbrio em quase 20 anos de carreira. Formado em 1999 por Helio Bentes (voz), Pedro 'Pedrada' Caetano (baixo), Márcio Sampaio (guitarra), Tiago Caetano (teclado), Lucas Kastrup (bateria) e Marcelo Campos (percussão), o grupo faz resumo dessa trajetória no repertório autoral do álbum gravado em 18 de novembro de 2017 no show apresentado pelo Ponto de Equilíbrio no festival República do reggae, em Salvador (BA), para público estimado em mais de 20 mil pessoas. Três semanas após o lançamento do áudio da gravação ao vivo nas plataformas digitais, o grupo irá disponibilizar na íntegra, em 27 de abril, o registro audiovisual do show no canal oficial da banda no YouTube. O VJ Guigga Tomaz assina a produção do material audiovisual captado na apresentação do festival. Já a direção artística do disco em si – uma produção independente – foi orquestrada pelos próprios músicos do grupo Ponto de Equilíbrio, fiéis ao lema de que reggae (também) é resistência.
Veja Mais

05/04 - Bob Dylan, Kesha, St. Vincent e outros refazem clássicos românticos com letras LGBT
EP 'Universal love' reimagina músicas românticas com letras gays e lésbicas. Dylan transforma 'She's Funny That Way' em 'He's funny that way'; ouça. Bob Dylan se apresenta em Port Chester, Nova York na terça-feira (4). The New York Times Bob Dylan, Kesha, St. Vincent e Valerie June estão entre os músicos e cantores que estão reimaginando clássicas músicas de amor como hinos lésbicos, gays, bissexuais e transgênero em um novo álbum divulgado nesta quinta-feira. O EP "Universal Love", de seis músicas, tem o objetivo de dar à comunidade músicas que reflitam sua própria identidade de gênero ao inverter pronomes ou ter cantores homens e mulheres invertendo papeis tradicionais. Dylan, o compositor e artista ganhador do prêmio Nobel, interpreta "He's Funny That Way", uma música cantada por Ella Fitzgerald e Diana Ross que também já fez parte de álbuns de Frank Sinatra e Bing Crosby como "She's Funny That Way". A guitarrista e cantora St. Vincent, que já disse publicamente que não se identifica nem como gay nem como heterosexual, apresenta "And Then She Kissed Me", uma versão do hit de 1963 do grupo feminino The Crystals "Then He Kissed Me". "A grande coisa sobre música é que transcende todas as barreiras e fronteiras e vai direto ao coração das pessoas", disse St. Vincent. "E todo mundo tem um coração".
Veja Mais

05/04 - Dupla Zezé Di Camargo & Luciano invade a praia do reggae sem sair da roça
O sertão ainda não virou mar, mas já começa a invadir lentamente a praia do reggae. Tanto que Zezé Di Camargo & Luciano estão indo na onda de outra dupla sertaneja, Otávio Augusto e Gabriel. Os irmãos goianos lançam single com a regravação de Reggae in roça, feita com a participação dos próprios Otávio Augusto e Gabriel, intérpretes originais da canção lançada em janeiro deste ano de 2018. Composição de autoria de Otávio Augusto, Gabriel Dias, Rodrigo Lisboa, Júnior Lucas e Léo Vinicius, Reggae in roça não é exatamente um reggae, como o título sugere, mas evoca a cadência do ritmo jamaicano. Mais evidente no registro original de Otávio Augusto e Gabriel, essa evocação é mais sutil na gravação de Zezé Di Camargo & Luciano, conduzida pela levada de um violão, mas turbinada com o toque de uma sanfona. Se há algo de reggae na gravação, já em rotação nas rádios e na web, é mais o clima do que o ritmo. De todo modo, dentro da discografia da dupla goiana projetada em 1991, Reggae in roça representa certa novidade justamente por conta da leveza pop da canção. O lançamento oficial do single Reggae in roça, de Zezé Di Camargo & Luciano, está programado para amanhã, 6 de abril, nas plataformas digitais.
Veja Mais

05/04 - Parceiro de Lulu, Jorge Ailton faz R&B à moda brasileira no álbum autoral 'Arembi'
Neologismo que expressa um R&B de sotaque brasileiro, Arembi é o título do terceiro álbum solo de Jorge Ailton, cantor, compositor e baixista carioca que transita no universo da black music nacional. A música-título Arembi é parceria do artista com o conterrâneo Lulu Santos, de cuja banda Ailton faz parte desde 2010. "O som que eu faço, o R&B, é um estilo muito americano, mas eu por ter aprendido a gostar dessa onda já ouvindo a tradução dos mestres Tim Maia, Cassiano, Hyldon e Carlos Dafé, resolvi 'desamericanizar' o nome e escrevê-lo de um jeito mais brasileiro possível. Arembi é tipo um lugar, como Cachambi, Morumbi, Ipanema, Anhembi. É a minha versão das influências de soul, R&B e funk que ouvi a vida inteira", situa Ailton. O cantor, compositor e baixista Jorge Ailton Divulgação / Marcelo Faustini Gravado em 2016 com repertório inédito de autoria de Ailton, o álbum Arembi chega ao mercado fonográfico a partir de 25 de maio em edição do selo carioca Lab 344. Mas o primeiro single, Isso que não tem nome, já está em rotação no YouTube desde terça-feira, 3 de abril, embora o lançamento oficial do single nas plataformas digitais esteja programado para amanhã, 6 de abril. Fael Mondego assina a programação de bateria, o baixo synth e os teclados do single, também gravado com o toque da guitarra de Claudio Costa. Arembi sucede os álbuns O ano 1 (2010) e Jorge Ailton apresenta canções em ritmo jovem (2013) na discografia solo do artista, que debutou no mercado fonográfico em 2005 com o álbum da banda black Funk U, criada por Ailton antes de o artista decidir construir obra fonográfica individual.
Veja Mais

04/04 - Google volta a pagar compositores brasileiros por clipes no YouTube após acordo com editoras
Disputa se arrastava desde 2013 e impedia autores de músicas de receber direitos autorais por vídeos de música no YouTube. Termos do acordo não foram divulgados; entenda. Playlist de música no YouTube Fabio Tito/G1 O Google fechou um acordo com entidades de músicos brasileiros e vai passar a pagar os compositores por clipes de suas músicas vistos no YouTube. Com isso, terminha uma disputa que se arrastava desde 2013 entre empresa dos EUA dona do site de vídeos e o Escritório Central de Arrecadação de Direitos (Ecad) e a União Brasileira de Editoras de Música (Ubem). As duas partes não revelaram os valores do acordo. Mas no final de 2016 já havia mais de R$ 8,8 milhões depositados em juízo pelo Google, que pedia uma definição de qual entidade deveria intermediar o pagamento. A discórdia dizia respeito ao percentual de faturamento do YouTube: as entidades queriam 4,8%, e o Google oferecia 3,6% - entenda aqui os detalhes da briga. "O acordo não encerra a luta por melhores condições de remuneração aos titulares de direitos autorais na Internet, mas representa importante avanço no respeito aos direitos autorais e na transparência da distribuição de música pela Internet", disse a Ubem em comunicado. "Os acordos vão nos ajudar a continuar desenvolvendo um ambiente no qual compositores e editores sejam devidamente remunerados", disse o Google.
Veja Mais

04/04 - Cores da aquarela carioca de Zé Renato ganham vida no show 'Bebedouro'
"É um show carioca. Viva o Rio de Janeiro!", saudou Zé Renato no palco do Teatro Riachuelo, no centro da cidade do Rio de Janeiro (RJ), após cantar o samba Diz que fui por aí (Zé Kétti e Hortênsio Rocha, 1964). De fato, o show Bebedouro pintou aquarela carioca de sons e ritmos que serviram de fonte para este cantor, compositor e músico de origem capixaba, mas que, pela vivência musical, pode ser considerado natural do Rio de Janeiro (RJ). Tão natural como A voz do morro (Zé Kétti, 1955), samba com o qual o artista – visto ao alto em foto de divulgação de Marcelo Castello Branco – encerrou show primoroso, irretocável, feito na noite de ontem, 3 de abril, com a adesão do parceiro carioca João Cavalcanti e com seis músicos excepcionais que tiraram sons típicos de big-band com o reforço do próprio Zé Renato, que se alternou no toque do violão e da guitarra eletroacústica. No palco, todas as cores dessa aquarela carioca ficaram vivas, fazendo com que o repertório autoral do já ótimo álbum Bebedouro, lançado em janeiro deste ano de 2018, soasse ainda mais refinado. Zé Renato no show 'Bebedouro' Divulgação / Marcelo Castello Branco Zé Renato foi na fonte ao montar o repertório do show Bebedouro, retratando a pluralidade dos sons cariocas em roteiro que partiu do suingue black rio de Agogô (Zé Renato e Moacyr Luz, 2018) – samba-rock alocado na abertura da apresentação – e que passou pela bossa eternamente moderna do cancioneiro de Antonio Carlos Jobim (1927 – 1994) e Vinicius de Moraes (1913 – 1980), representado no roteiro pela perfeição melódica e poética da canção O amor em paz (1960). Nessa rota, o samba do morro se amalgamou com o samba mais íntimo das boates, como exemplificou o arranjo feito pelo pianista Cristovão Bastos para o já mencionado samba Diz que fui por aí. Dentro dessa geografia musical carioca, o samba Sacopenapan (2018) contornou bairros como Copacabana e Humaitá, situando as vivências na cidade de Joyce Moreno e Zé Renato, parceiros no tema e também em outro samba, Noite (2018), cujo majestoso arranjo evidenciou o balanço do trio de metais. Sem afrouxar o conceito do show, Zé Renato rompeu os limites das águas do disco Bebedouro para ir na fonte rica do compositor carioca Edu Lobo, de cujo repertório Zé reavivou Uma vez, um caso (Edu Lobo e Cacaso, 1976) em número antecedido por citação de Repente (Edu Lobo e José Carlos Capinam, 1976). Outra fonte que jorrou límpida na estreia carioca do show Bebedouro foi a música do compositor Egberto Gismonti, de quem Zé cantou lindamente Ano zero (Egberto Gismonti e Geraldo Carneiro, 1972), reiterando habilidade como intérprete que ficou ainda explicitada quando o cantor deu voz à canção Carinhosa (2017) – apagando a má primeira impressão dessa parceria com Otto, (mal) gravada pelo artista pernambucano em disco do ano passado – e sobretudo quando, momentos depois, Zé interpretou Dentro de mim mora um anjo (Sueli Costa e Cacaso, 1975) e Toada (Na direção do dia) (Zé Renato, Claudio Nucci e Juca Filho, 1978). Este hit do grupo vocal Boca Livre poderia ter soado batido, como concessão ao público, mas se renovou no sopro cool e minimalista de um trompete, a ponto de se impor como um dos pontos mais altos de show que transcorreu sem baixos. João Cavalcanti e Zé Renato no show 'Bebedouro' Divulgação / Marcelo Castello Branco Entre acertos sucessivos, merece menção honrosa a saudável ousadia de Zé de cantar (bem) o sucesso mais recente de Chico Buarque, Tua cantiga (2017), somente com o toque do piano de Cristovão Bastos, parceiro de Chico nessa cantiga que se situa entre a modinha e o lundu. Mesmo quando navegou em outros mares, como na morna Náufrago (Zé Renato e Nei Lopes, 2018), Zé Renato pareceu estar em águas cariocas. Tudo fluiu com precisão no palco, seja a simplicidade e a leveza que pautaram Vamos curtir o amor (2018), parceria com o novo baiano Moraes Moreira, seja a interiorização de Samba e nada mais, número feito com o parceiro João Cavalcanti em dueto harmonioso que se estendeu em Mulato (João Cavalcanti, 2012). Engrandecido na apresentação carioca de ontem pelo toque de músicos como o baixista Jamil Joanes e o saxofonista Zé Nogueira, integrantes da banda que fez emergir Amphibious (Moacir Santos, 1974) em número instrumental, o show Bebedouro resultou excepcional, reiterando o grande momento artístico de Zé Renato como cantor e compositor. (Cotação: * * * * *) Zé Renato no show 'Bebedouro' Divulgação / Marcelo Castello Branco Eis o roteiro seguido em 3 de abril de 2018 por Zé Renato na estreia carioca do show Bebedouro no Teatro Riachuelo, no Rio de Janeiro (RJ): 1. Agogô (Zé Renato e Moacyr Luz, 2018) 2. Sacopenapan (Zé Renato e Joyce Moreno, 2018) 3. Noite (Zé Renato e Joyce Moreno, 2018) 4. Ano zero (Egberto Gismonti e Geraldo Carneiro, 1972) 5. Repente (Edu Lobo e José Carlos Capinam, 1976) 6. Uma vez, um caso (Edu Lobo e Cacaso, 1976) 7. Carinhosa (Zé Renato e Otto, 2017) 8. Vamos curtir o amor (Zé Renato e Moraes Moreira, 2018) 9. Agora e sempre (Zé Renato e José Carlos Capinam, 2018) 10. Diz que fui por aí (Zé Kétti e Hortênsio Rocha, 1964) 11. Samba e nada (Zé Renato e João Cavalcanti, 2018) – com João Cavalcanti 12. Mulato (João Cavalcanti, 2012) – com João Cavalcanti 13. Dentro de mim mora um anjo (Sueli Costa e Cacaso, 1975) 14. Toada (Na direção do dia) (Zé Renato, Claudio Nucci e Juca Filho, 1978) 15. O amor em paz (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes, 1960) 16. Tua cantiga (Cristovão Bastos e Chico Buarque, 2017) 17. Amphibious (Moacir Santos, 1974) – números instrumental da banda 18. Navegantes (Zé Renato e Nei Lopes, 2018) 19. Ânima (Zé Renato e Milton Nascimento, 1982) 20. Pedra de mar (Zé Renato e Paulo César Pinheiro, 2018) / 21. Fonte de rei (Zé Renato e Paulo César Pinheiro, 2018) 22. Agogô (Zé Renato e Moacyr Luz, 2018) / 23. A voz do morro (Zé Kétti, 1965) – com João Cavalcanti Bis: 24. Noite (Zé Renato e Joyce Moreno, 2018) – com João Cavalcanti
Veja Mais

04/04 - Morto há um ano, Jerry Adriani é revivido em biografia e em (outro) disco ao vivo
Cantor paulistano que saiu de cena em abril do ano passado, aos 70 anos de vida, Jerry Adriani (29 de janeiro de 1947 – 23 de abril de 2017) terá a vida e obra revividas em biografia, que tem previsão de lançamento para o fim deste ano de 2018, e em disco ao vivo. Quem assina a edição do livro é o pesquisador musical Marcelo Fróes, cujo projeto é anterior à morte do cantor. Tanto que a ideia inicial – aprovada por Jerry – era editar uma biografia escrita na primeira pessoa a partir de transcrição de longa e inédita entrevista do cantor. O livro já tem publicação garantida. Já a edição de um disco ao vivo de Jerry está em fase de negociação por Fróes. Se concretizado, o projeto do álbum gera o segundo registro retrospectivo de show em discografia que compreende 31 álbuns lançados entre 1964 e 2012, já que, em 2009, Jerry lançou o CD Acústico ao vivo com sucessos da carreira.
Veja Mais

04/04 - Luan Estilizado grava com Elba para EP junino que também terá Teló e Fagner
Elba Ramalho e Luan Forró Estilizado Reprodução / Facebook Elba Ramalho Elba Ramalho participa do EP com repertório junino que será lançado em maio por Luan Forró Estilizado. A gravação foi feita nesta primeira semana de abril, na casa da cantora paraibana, na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Projeto criado em 2010 pelo cantor e sanfoneiro (também) paraibano José Luan Barbosa da Silva, a banda de forró Luan Forró Estilizado prepara disco direcionado ao circuito de São João que movimenta a indústria musical do nordeste do Brasil nos meses de junho e julho. Os cantores Bell Marques, Fagner e Michel Teló também participam do EP junino de Luan.
Veja Mais

03/04 - Vem à tona, com boas canções, álbum feito por João Donato com Ritchie em 1989
No segundo semestre de 2016, João Donato gravou em dupla com o filho Donatinho um álbum, Sintetizamor (lançado em 2017), em que se permitiu dar voz a canções formatadas basicamente com sintetizadores. Uma das dez músicas do repertório inédito e autoral desse disco é Hao chi, tema instrumental composto por pai e filho, sem parceiros. Até então, Hao chi era inédita em disco, mas, a rigor, tinha sido gravada por Donato em 1989, ano em que o artista se aventurou a fazer álbum calcado nos sintetizadores pilotados por Donato com Ritchie, cantor, compositor e músico inglês que vivia no Brasil desde os anos 1970 e que fizera grande sucesso na primeira metade da década de 1980. Hao chi foi registrada por Donato no estúdio de Ritchie, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), para álbum, Janela da Urca, que somente vem à tona 29 anos após a gravação. Janela da Urca é um dos três álbuns inéditos embalados na caixa A mad Donato, lançada pelo selo Discobertas em março deste ano de 2018. Além dos três álbuns, uma também inédita compilação de gravações raras completa o lote de CDs da valiosa caixa. Capa da caixa 'A mad João Donato' Divulgação / Selo Discobertas Técnico de gravação do disco, Ritchie comandou o uso dos sintetizadores com sabedoria, evitando pasteurizar a música de Donato com excesso de timbres. Editado pelo pesquisador musical Marcelo Fróes, que desde 2014 vasculha o acervo pessoal do compositor e pianista acriano, o álbum Janela da Urca é álbum pontuado por canções com letras, cantadas pelo compositor com voz opaca, mas com grande musicalidade. Esse tipo de disco, com canções cantadas, não é muito comum na discografia de Donato. Dentre as (boas) canções de Janela da Urca, cabe destacar a rara A música do amor (feita por Donato com letra do compositor e poeta cearense Fausto Nilo), O amor se derrama – parceria bissexta de Donato com Antonio Cicero e Paulinho Lima até então somente registrada oficialmente em disco lançado em 1995 pelo ator e cantor Eduardo Conde (1946 – 2003) – e Entre o sim e o não (João Donato e Abel Silva, 1995), música lançada em 1995 em gravações das cantoras Simone e Lisa Ono. São canções aboleradas, com doses equilibradas de romantismo e latinidade. Lua dourada – música apresentada por Donato em 1986 no álbum Leilíadas com o título de Leila VI e reapresentada em Janela da Urca em duas versões cantadas (com a letra de Fausto Nilo e com adesão vocal de Ritchie) e em registro instrumental – se enquadra nesse formato palatável que vem seduzindo intérpretes desde meados dos anos 1970. Janela da Urca, o improvável álbum feito por João Donato com sons sintetizados por Ritchie, abre espaço para tais canções. (Cotação: * * * *)
Veja Mais

03/04 - Samba inédito de Caetano agrega valor ao show que junta Bethânia e Pagodinho
O fato de o show De Santo Amaro a Xerém apresentar músicas inéditas no roteiro agrega valor adicional à turnê que promove, no palco, o encontro inusitado e também inédito de Maria Bethânia com Zeca Pagodinho. Inclusive porque uma dessas músicas é contribuição de Caetano Veloso. Caetano compôs para o show um samba de roda afetuosamente intitulado Amaro Xerém com inspiração no nome do espetáculo, De Santo Amaro a Xerém – título, aliás, de outro inédito samba de roda de autoria de Leandro Fregonesi que vem sendo ensaiado pelos cantores no Rio de Janeiro. A presença da inédita de Caetano é um trunfo e tanto. Afinal, desde o álbum Âmbar (1996), lançado há 22 anos, Bethânia não apresenta em disco música inédita do mano Caetano (Eterno em mim, gravada no álbum de 1996, mas lançada em show de 1985, foi a última). Cabe lembrar que a cidade natal dos baianos Bethânia e Caetano, Santo Amaro da Purificação (BA), é uma das terras do samba de roda da Bahia. Na letra do samba, Caetano ergue a ponte que liga Santo Amaro ao bairro de Xerém, QG do carioca Zeca Pagodinho no município fluminense de Duque de Caxias (RJ). Essa ponte Rio-Bahia sustenta o conceito do show, embora o roteiro tenha set cantado somente por Bethânia e outro somente por Zeca, além dos esperados duetos. Além dos sambas de roda, o roteiro também poderá incluir outra música inédita de Leandro Fregonesi. O compositor carioca celebra afetuosamente a cidade de Santo Amaro da Purificação (BA) no samba Pertinho de Salvador. Esse samba inédito também vem sendo ensaiado por Bethânia e Pagodinho (em foto de Daryan Dornelles). A turnê nacional do show De Santo Amaro a Xerém começa no próximo sábado, 7 de abril, na casa Classic Hall, em Olinda (PE), seguindo depois para Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG) e São Paulo (SP) com o encontro de Bethânia e Pagodinho.
Veja Mais

03/04 - Arnaldo Antunes 'choca' disco que será beneficiado pela turnê dos Tribalistas
"Chocando um novo disco. Aguardem". Somente com essas palavras, escritas em post publicado com a imagem de dois ovos no mato, Arnaldo Antunes sinaliza nas redes sociais que se prepara para lançar um álbum de músicas inéditas em meio aos preparativos para a primeira turnê do trio Tribalistas, programada para acontecer entre agosto e setembro deste ano de 2018. O último álbum de estúdio do cantor e compositor paulistano foi o anêmico Já é (2015), lançado há três anos com produção assinada por Kassin – disco ao qual se seguiu, em 2017, DVD com o registro de show captado em Lisboa. O próximo álbum de Arnaldo será o 11º título da discografia solo de estúdio do ex-Titãs – ou o 12º se contabilizado o CD lançado em 2000 com a trilha sonora composta por Arnaldo (em foto de Daniel Mattar) para balé do Grupo Corpo. De qualquer forma, esse novo disco da carreira solo do cantor – iniciada há 35 anos com a edição do concretista álbum Nome (1993) – será beneficiado pela visibilidade atípica alcançada pelo artista em 2018 por conta da turnê dos Tribalistas, alavancada na mídia e nas redes sociais pela presença de Marisa Monte no trio.
Veja Mais

03/04 - Dupla Marcos & Belutti se une a Marília Mendonça no ritmo latino da bachata
Depois da onda de reggaeton, outro ritmo da música latina começa a invadir o universo pop brasileiro. É no ritmo da bachata – gênero da República Dominicana, recorrente no cancioneiro de artistas como o cantor e compositor Juan Luis Guerra, para citar somente um exemplo – que a dupla Marcos & Belutti se junta pela primeira vez com a cantora Marília Mendonça no single Cancela o sentimento. Disponível nas plataformas digitais desde ontem, 2 de abril de 2018, o single do trio apresenta música inédita composta por Luiz Henrique Paloni, Matheus Marcolino e Vinicius Poeta. A produção do single Cancela o sentimento é assinada por Fernando Zor.
Veja Mais